domingo, 31 de agosto de 2008

Depois de um bom tempo sem vê-lo, não sei o motivo, mas estava de bom humor. Acho que estávamos vivendo um do outro, e isso estava nos matando.
Encontrei-me no mesmo estado que encontrei George.
Presa em outro e louca para que ele me desse algum prazer, me libertasse.
Imaginei que poderia sair dessa melhor que ele. Além de homem, ele é tímido. Quase impossível ver George ajeitando uma putinha. Achava ele desajeitado para conseguir essas coisas, ou talvez, faltava-lhe coragem. Desde a primeira vez que vi ele se metendo em encrenca por causa de drogas. Vi que ele seria incapaz de fazer algo de errado sozinho. George era perfeito. Perfeito demais para descrevê-lo.

2 comentários:

Marcelo Grillo disse...

Ninguém é perfeito. Mas todos já foram algum dia. Só vemos a perfeição depois que ela passou por nós. No presente, só vemos defeitos. O que é uma pena. Mas consigo ver alguma perfeição no que escreves...

SIMPLES CAMISETAS disse...

a perfeição só é vista quando não se tem mais....